A Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump) é uma instituição sem fins lucrativos, controlada pela UFMG, e tem como missão prestar assistência estudantil aos alunos de baixa condição socioeconômica da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG).

A Fump desenvolve Programas de Assistência Estudantil que visam facilitar o acesso à alimentação, saúde, moradia, transporte, aquisição de material escolar e outros projetos que auxiliam os estudantes a ter um bom desempenho acadêmico, reduzindo a evasão na Universidade.

A história da Fump se confunde com a trajetória da própria UFMG. Quando a Universidade foi criada, em 1927, com o nome de Universidade de Minas Gerais (UMG), o ensino era pago, o que dificultava o acesso da população pobre. Naquele momento, havia grande articulação na comunidade universitária pela assistência estudantil, bandeira defendida com muita determinação pelo primeiro reitor da UMG, o professor Francisco Mendes Pimentel.

Francisco Mendes Pimentel
Professor Francisco Mendes Pimentel

Em 1929 é criada a Associação Universitária Mineira (AUM), primeira estrutura de assistência estudantil da Universidade de Minas Gerais (UMG). Entre suas funções, a AUM prestava assistência médica, odontológica, jurídica e material aos estudantes de baixa condição socioeconômica.

O professor José Baeta Vianna, outro entusiasta do projeto de assistência estudantil, cria, em 1936, a Assistência Universitária Mendes Pimentel (Aump), que assume as atividades de assistência da UMG.

Em 1949, a Aump começa a sofrer os reflexos das mudanças na Universidade com o processo de federalização e com a instituição, em 1951, da gratuidade no ensino da UMG. A gratuidade no ensino provoca, de imediato, a paralisação pela Aump dos empréstimos para matrícula e reflete no programa de assistência, já comprometido pela precariedade dos recursos recebidos pela instituição. Os anos seguintes são de instabilidade financeira na entidade. Mesmo nesse cenário difícil, alguns serviços, ainda que de maneira precária, continuam a ser prestados por meio das congregações, diretorias das escolas e faculdades, dos diretórios acadêmicos, do Diretório Central dos Estudantes e da Reitoria da Universidade.

Na década de 1960, a Aump passa por um processo de reestruturação comandado pelo professor Aluísio Pimenta, ex-bolsista da entidade, que assume a Reitoria em 1964 e se dedica à reorganização da assistência na UMG que, em 1965, passa a adotar o nome Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG). Pelo novo estatuto, a Aump passa a atuar de forma mais universalista, atendendo a todos os estudantes da Universidade por meio de assistência social, oportunidades de estágio ou trabalho; serviços médicos, hospitalares e dentários; amparo financeiro para aquisição de livros e de material didático; assistência jurídica e alimentação sadia a custo acessível. Em 1966, a Aump começa também a administrar os Restaurantes Universitários criados nas escolas.

A garantia de um orçamento próprio para a assistência estudantil começa a se tornar realidade em 1972 com a criação do Fundo de Bolsas, constituído pelos recursos da taxa de matrícula e da anuidade paga pelos estudantes.

Em 1973, a Aump se torna Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump) e é reconhecida como entidade filantrópica na mesma década, o que lhe confere maior autonomia e viabiliza a isenção de impostos e o estabelecimento de convênios. Esse fato tem importância fundamental para consolidar a política de assistência na UFMG.  

Durante o regime militar, um dos maiores desafios da Fump foi a gestão dos Restaurantes Universitários. A situação quase levou a Instituição à falência, em meados da década de 1980. A solução veio em 1987, quando a Reitoria assumiu o custeio dos restaurantes.

No final dos anos de 1980, a Fump consegue sanear suas contas e amplia suas formas de receita. Com o orçamento equilibrado, a Instituição amplia sua estrutura de apoio ao estudante, passando a administrar o Programa Permanente de Moradia Universitária da UFMG. Em 2001, é inaugurado o complexo da Moradia Universitária Ouro Preto I, em Belo Horizonte e, em 2002, começa a funcionar a moradia de Montes Claros. Em 2006, os estudantes passam a contar com a Moradia Ouro Preto II, também em BH.   

A partir de 2008, a demanda pela assistência oferecida pela Fump começa a aumentar significativamente com a inclusão de mais estudantes pela UFMG por meio do Programa de Apoio ao Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais (Reuni) e da política de bônus no vestibular que beneficia egressos das escolas públicas e candidatos que se declaram pardos ou negros.

Por outro lado, os recursos da instituição sofrem queda depois da decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de considerar inconstitucional a Contribuição ao Fundo de Bolsas (CFB) que era vinculada à matrícula. Porém, o Ministério da Educação (MEC) cria o Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes) cujos recursos têm ajudando a Fump a manter os programas de assistência destinados aos estudantes de baixa condição socioeconômica.

No segundo semestre de 2008, a Fump lança a Campanha de Contribuição Voluntária ao Fundo de Bolsas voltada para toda a comunidade acadêmica. Os recursos arrecadados com a campanha, somados à verba do Pnaes, vêm contribuindo para a manutenção dos programas de assistência oferecidos pela Fump.

Em julho de 2011 foi concluída a tão sonhada mudança da sede para a região da Pampulha. Os alunos assistidos da UFMG passaram a contar com o apoio da Fundação bem em frente a Universidade, facilitando ainda mais o acesso aos benefícios oferecidos. Outra grande conquista ocorreu em agosto do mesmo ano. O novo prédio da Gerência Montes Claros passou a funcionar ao lado do Restaurante Universitário. E ao citar o Restaurante Universitário ICA, lembramos que o local também passou por reformas e modificações, além de ganhar um novo mobiliário, proporcionando mais conforto aos usuários.

Em 2013 o RU Setorial I foi reinaugurado com o objetivo de suprir a grande demanda do campus Pampulha com a chegada das novas instalações da Faculdade de Engenharia.

A inauguração da Quadra Poliesportiva na Moradia Universitária Ouro Preto I e a instalação de internet sem fio nas moradias foi concluído durante o ano de 2014. Em fevereiro de 2015 a Fump inaugurou a lavanderia na Moradia Universitária Ouro Preto I. Em Montes Claros as ruas do entorno da Moradia Cyro Versiani dos Anjos até a entrada do campus, foram asfaltadas Uma parceria entre a Prefeitura e a Diretoria do ICA, que beneficiou toda a comunidade nas adjacências. No mesmo ano foi concluída a reforma do bicicletário da Moradia em Montes Claros e o local passou a ser protegido do sol e chuva, uma demanda necessária, uma vez que 90% dos residentes da Moradia fazem uso da bicicleta como meio de transporte para a Universidade. 

Em março de 2017 foi inaugurada a nova área de produção do Restaurante Universitário Setorial II. Fundado em 1979, essa foi a primeira grande reforma do RU após a construção do segundo andar (salão Ocre) na década de 1990. As obras foram realizadas entre janeiro e março e modernização não tinha o objetivo inicial de aumentar a produção. No entanto, a troca dos equipamentos otimizou a rotina de trabalho, o que implicou em ganhos de eficiência.

Entre as mudanças, uma das mais significativas é a substituição das caldeiras a vapor, responsáveis pela geração de energia para o funcionamento das panelas, por geradores a vapor, mais modernos, seguros e menos poluentes. As caldeiras antigas eram alimentadas por um óleo de refugo da indústria (BPF), derivado do petróleo. As novas máquinas produtoras de vapor, por sua vez, são movidas pela queima do gás de cozinha comum (GLP).

A área de produção do RU também recebeu frigideiras, fritadeiras, panelões, palets e armários para os vestiários dos funcionários. A iluminação tornou-se mais eficiente, e foram trocados piso, canaletas, grelhas, revestimento e a rede elétrica, que conta agora com proteção contra choques elétricos. A rede hidráulica também foi revitalizada, e o ambiente ganhou nova pintura. Além disso, todos os equipamentos que funcionam na área de produção revitalizada poderão operar com gás natural assim que a rede canalizada estiver disponível no campus Pampulha.

A Fump não para de crescer. Nosso compromisso é garantir aos estudantes plenas condições de concluir o curso, tendo em mente minimizar as diferenças de oportunidades anteriores ao ingresso na Universidade. Nossa história não termina aqui.  

 

 

Revista 80 Anos Fump

 

Missão

Executar a política de assistência estudantil definida pela UFMG, garantindo ao estudante plenas condições socioeconômicas e culturais para a conclusão do curso, visando minimizar as diferenças de oportunidades anteriores ao seu ingresso na Universidade.

Visão

A Fump trabalha para consolidar-se como referência em assistência estudantil no Brasil, adequando cada vez mais seus programas e
respectivos critérios de acesso, num modelo de gestão equilibrado e ágil, que tenha como premissa a sintonia com os interesses da Universidade.

Valores
 - Solidariedade
- Transparência
- Compromisso
- Responsabilidade Social
- Ética
- Justiça
- Eficiência
- Respeito
- Honestidade
- Impessoalidade