A Bolsa Apadrinhamento é destinada aos estudantes de primeira graduação, classificados socioeconomicamente pela Fump no nível I, que apresentam bom desempenho acadêmico. A bolsa mensal tem o valor de R$ 400,00.

 

Informações complementares

A cada ano, mais de 170 mil estudantes tentam ingressar na Universidade Federal de Minas Gerais, o que mostra que estudar na UFMG é um projeto de vida para milhares de jovens. Vencida a etapa do acirrado processo seletivo, alguns ainda têm outro grande desafio: como se manter na Universidade?

A política de assistência estudantil da UFMG é executada pela Fundação Universitária Mendes Pimentel (Fump), instituição sem fins lucrativos criada há 89 anos para auxiliar na permanência de estudantes na UFMG. A Fump desenvolve ações que promovem acesso à alimentação (preço reduzido nos restaurantes universitários), à saúde (acesso a médicos, dentistas e psicólogos), à moradia universitária, à aquisição de material escolar, ao transporte e a outros programas que contribuem para que esses estudantes tenham um bom desempenho acadêmico, o que reduz o índice de evasão.

A principal fonte de financiamento é o Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes), mas os recursos governamentais não são suficientes para atender a toda a demanda. É por isso que a Fump conta com doações de pessoas físicas e jurídicas.

Nos anos anteriores as doações para a assistência estudantil da UFMG eram realizadas através de um boleto que a Fump enviava para a casa dos estudantes. 

Agora a Fundação entra em contato com ex-alunos, professores e comunidade universitária convidando essas pessoas para doarem para a assistência estudantil.

O valor da doação é decidido pelo próprio doador. O importante é a contribuição.

Você também pode participar dessa iniciativa e contribui para escrever a história de sucesso de um futuro profissional. Entre em contato através do telefone (31) 3409-8460 ou mande uma e-mail para fernanda.arruda@fump.ufmg.br.

 

Prestação de contas

Confira aqui na página da prestação de contas da Fump como é utilizada verba de doação recebida pela Fundação e também a destinação de financiamento é o Programa Nacional de Assistência Estudantil (Pnaes).

 

Apoiadores

Faculdade de Medicina da UFMG, Faculdade de Odontologia da UFMG e Conselho Regional de Odontologia de Minas Gerais (CRO-MG).







 

Prof. Romeu Cardoso Guimarães

O prof. Romeu Cardoso Guimarães, do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG, apadrinha quatro estudantes de baixa renda assistidos pela Fump. Ele é o primeiro padrinho da Fump. Graças a ele a Fundação profissionalizou a capatação de recursos e criou a Bolsa Apadrinhamento.

“Essa contribuição é o mínimo que pensei em fazer. Como beneficiária, escolhi a própria Universidade pública que me formou e que sempre me pagou. Minha família preparou as bases, a UFMG me deu muito, não passei por dificuldades, agora inicio processo de retornar à Universidade alguma contribuição espontânea. A função da Universidade é formar pessoas e a bolsa deve ir diretamente para pessoas em formação.”

As bolsas doadas pelo professor Romeu homenageiam quatro personalidades. Conheça os homenageados:

Miguel Fernandes Guimarães (Bolsa 1)
Miguel Fernandes Guimarães, pai do professor Romeu, nasceu em 1903 entre as vilas de Padilha e Cercado de Pitangui, hoje município de Nova Serrana. Sua formação era de carpinteiro rural, mas tornou-se construtor ao mudar-se para Belo Horizonte logo após o casamento. Sua principal meta para os filhos era que estudassem. Sempre auxiliou seus irmãos e seus companheiros de trabalho. “Aprendi com meu pai o respeito e a dedicação aos pobres. Ele soube se aposentar ao ter a meta de estabilidade financeira cumprida e se tornou pescador. Ao acompanhá-lo, aprendi o companheirismo com os barranqueiros”, relata o professor Romeu. O senhor Migues Guimarães faleceu em 1986 por complicações causadas por hepatite.

Sálvio Magalhães (Bolsa 2)
Sávio Magalhães, sogro do professor Romeu, nasceu em Aiuruoca e faleceu em 2004 aos 92 anos, deixando seis filhos. “Homem bom, preocupado com os pobres e sempre querendo ajudar as pessoas. Todos de Minduri lhe eram muito amigos e respeitosos”, conta o professor Romeu. Escrivão de cartório civil, ex-prefeito, “pescador exímio, de ótimo humor e inventor de charadas”. Recebeu homenagem de sua cidade natal onde uma praça foi batizada com seu nome.

Anita Cardoso Guimarães (Bolsa 3)
Dona Anita Cardoso Guimarães, mãe do professor Romeu, nasceu “pelos lados de Itaúna” e faleceu em 2011 aos quase 102 anos. Como descreve o professor, “teve início de vida atribulada, mas superou, mantendo índole mansa e bem-humorada. Cresceu separada dos pais leprosos, sob os cuidados dos avós. Dos oito filhos, perdeu só o primeiro e precocemente, com doença mental. Os outros estão bem, amigos entre si e nenhum se entristeceu com a passagem, só valorizando as boas lembranças”.

Antônio Celso Magalhães (Bolsa 4)
Antônio Celso, cunhado do professor Romeu, faleceu em 2009 aos 65 anos, deixando três filhas “bem estudadas” relata o professor. Celso, como era carinhosamente chamado pela família, batalhou bastante ao sair de Minduri para vencer no Rio de Janeiro por conta própria. Sempre com bom humor, gostava muito de leituras de ficção e de estudar futuros alternativos.  


Contato para doações
(31) 3409 8460 – relacoesinstitucionais@fump.ufmg.br